quinta-feira, 30 de abril de 2009

Há dias assim, cinzentos

Já nem sei mais o que escrever.

A consulta no Otorrino (O Terceiro) foi hoje. E vim de lá com uma forte suspeita de que o ouvido interno esteja afectado. Pelo que, mesmo fazendo a tal operação - para retirar o líquido e as adenóides -, ele pode continuar a ouvir mal. Diz o médico que a audição só melhorará aquilo que a retirada do líquido ajudar.

É que ele está a ouvir mesmo muito mal, como já sabíamos. Como ainda não tem idade para fazer um audiograma (só fez timpanograma), é necessário fazer um exame sob anestesia geral. E só é viável fazê-lo se não existir líquido no ouvido médio. Porque, se existir, ficamos sem saber se os resultados do exame foram condicionados pelo líquido ou não. Assim sendo, vai fazer um tratamento com corticóide durante 12 dias, para ver se o líquido desaparece. Se desaparecer, faz-se o exame para avaliar a perda de audição. Se não desaparecer, tem de ser operado para lhe ser retirado o líquido e as adenóides. Logo se vê se coloca os tubinhos, e faz-se o tal exame nessa altura.

Voltamos à consulta daqui a três semanas, mais cedo se notarmos que o tratamento não está a resultar. Diz que não há necessidade de esperar mais, que não vai dizer para voltarmos em Outubro, que não é para amanhã mas é urgente. Que ele já devia falar ou, pelo menos, perceber o que lhe dizem. Diz também que quando há uma lesão do ouvido interno não costuma ser bilateral, mas que é uma forte possibilidade. Também pode ser que o líquido no ouvido médio seja tanto que o faça ouvir muito mal, mas não há uma forte probabilidade de que seja isso.

Se os nervos do ouvido interno estiverem afectados, nem com o uso de um aparelho auditivo a audição ficará a 100%.

Como é que eu estou? A balançar-me entre a interrogação 'O que é que eu andei a fazer todo o santo dia nos médicos - pediatra e otorrinos -, a dar dinheiro para caridade?' e, claro, 'O que é que fiz de errado?'. Os médicos dizem-me para não me preocupar, dizem-me para lá voltar meses e meses depois, dizem-me que está melhor, e eu vejo o meu filho a ouvir pessimamente. Dizem-me que a hipótese de sequelas é reduzida. E agora, afinal, o meu filho vai ficar surdo? Desculpem-me, mas apetece-me ir ali esfaquear uns senhores doutores... Eles depois tratam das sequelas uns aos outros.

9 comentários:

Cláudia disse...

Amiga... MUITA FORÇA!

Um beijinho e um abracinho apertado

rita disse...

Caramba, é revoltante. Não é nada comigo e estou furiosa, com vontade de bater nessa gente toda.
Espero ao menos que seja desta que alguém competente saiba o q está a fazer.
Bjs grandes e força.

Luz de Estrelas disse...

Ó querida, que grande chatice, para dizer o menos. Espero que o que quer que os médicos decidam fazer, resolva o problema. Estás a sofrer, como é lógico. Muita força e muitos beijinhos

Cristina disse...

:( Beijos grandes. Que tudo se resolva pelo melhor!

Cristina

csr disse...

Pedem-nos para esperar, esperar e depois dizem-nos coisas que nos deixam de boca aberta...
Um beijo enorme, com muita força e a torcer para que tudo se resolva com o tratamento.

Mãe da Tiz disse...

Imagino como está esse coração de mãe... muito cinzento mesmo... mas tenho fé que tudo se vai resolver pelo melhor. Se Deus quiser não vão ficar sequelas...

Força!

Mil beijos***

CLS disse...

Pois, imagino a tua revolta... Mas tenta pensar positivo e não te sintas culpada, o teu M. vai ficar bem.
Um gande beijinho.

Carla Isabel disse...

Queres tentar o meu pediatra?

Se quiseres diz qualquer coisa!
Bjs

Fernando disse...

olá,
Sou a mae do Simão e do André os meus biscoitos e ao ler este teu blog percebi que também tenho o meu biscoito mais novo com o mesmo problema (Simão) comecei por notar que está sempre em cima da televisão e tem certos momentos que temos de repetir o que dizemos , o médico falou em liquido no ouvido e receitou-lhe um tratamento mas...não vejo melhoras!! Falas em operação...pois...este mês dia 20 vou novamente ao médico para ver o ponto da situação.
Beijokas vou dando noticias
Tete