sexta-feira, 9 de julho de 2010

How odd is this?

Definitivamente, o meu marido tem um ego que nunca mais acaba e tudo o que faz é em grande estilo.

Por isso:
- A primeira multa foi das grossas, com sanção acessória e tudo, paga na hora, sem apelo nem agravo. Pelo menos, não causou danos nem a pessoas, nem a bens materiais, nem a ele próprio. Antes assim.

- Como se não bastasse, esqueceu-se das luzes ligadas quando saiu para falar com os senhores agentes da autoridade. Vai daí, quando volta para o carro, depois da bela 'compra' no MB portátil, o carro não pega. Os agentes, amorosos, ensinam o marido a pôr o carro a andar numa situação dessas (em segunda, que com o impulso ele pega). Registe-se que o carro (à semelhança do outro, da mesma marca) nunca deu problemas de qualquer espécie. Tinha de acontecer ali, claro. E lá veio o marido para casa, depois de empurrado pelos polícias. O meu marido é assim mesmo: é multado mas consegue pôr os agentes a 'sofrer', empurrando a sua moribunda viatura!

A somar à multa, uma linda e luzidia bateria nova. Parece que quando lhes dá o primeiro badagaio, é mesmo para trocar.

Nota 1: A bateria do meu carro tem o dobro da idade. Nunca deu problemas, oxalá não se lembre tão cedo.

Nota 2: Dizer à minha filha que casar com um mecânico - ou outro handyman - deve dar muito jeito. Ela que não me leia, mas quer-me parecer que, hoje em dia, os livros não servem de muito. Ainda querem mais licenciados? Mais? Isso há aos pontapés. A dificuldade está em arranjar um electricista, um canalizador, um técnico de climatização, um serralheiro ou um pintor. E os orçamentos? Do melhor... para eles. Qual advogado de topo qual quê! O que está a dar é sujar as mãos.

3 comentários:

Tita disse...

O pior mesmo é que já ninguem as quer sujar!
Bjs grandes

susana disse...

Pois quem n deve ter axado mta piada de empurrar o carro terão sido os cops :)


jokitas

Carla Isabel disse...

Já ninguem quer profissões de sujar a mão...é só doutores...mas com pouco conhecimeento, pois claro!

Bjs